Vendas de material de construção ficam estáveis em abril

7 de maio de 2014   |   
Materiais de Construção, Notícias

As vendas do varejo de material de construção ficaram praticamente estáveis no mês de abril, com relação a março, apresentando uma retração de 1%. O resultado é em função do desempenho das pequenas e médias lojas do país, uma vez que os grandes estabelecimentos cresceram 9% no mês. A informação é do estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Universidade Anamaco, divulgado nesta segunda-feira, 05 de maio. O levantamento ouviu 530 lojistas das cinco regiões do país entre os dias 25 e 29 de abril e a margem de erro é de 4,3 pontos percentuais.

Segundo a pesquisa, a variação apresentada em abril é similar a ocorrida no mesmo período de 2013. Entretanto, o percentual de lojistas com crescimento é 18% menor. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o setor retraiu 6% . No acumulado dos últimos 12 meses, o desempenho é 9% superior.

“O setor é composto por 144 mil lojas de material de construção das quais 77% são pequenos e médios estabelecimentos que, em sua maioria, trabalham com materiais básicos como cal, cimento e madeira ou não têm uma categoria que represente mais de 50% de seus produtos. O desempenho das lojas reflete uma diminuição no número de novas obras ao longo do mês de março, pois tivemos uma queda na venda de produtos básicos, com produtos de acabamentos apresentando aumento de vendas”, explica o presidente da Anamaco, Cláudio Conz,

Entre os setores que apresentaram crescimento estão revestimentos cerâmicos (5%), aço (3%), tintas (3%), portas e janelas de alumínio (2%) e louças sanitárias (2%). Já metais sanitários retraíram em 4%.

No levantamento por regiões, o Centro-Oeste, Norte e Nordeste apresentaram crescimento de 9%, 5% e 4%, respectivamente. Já o Sul e Sudeste apresentaram retração de -5% e – 4%.

O estudo também revela que cresceu em 2% o otimismo dos lojistas com relação às ações do Governo Federal e cerca de 23% dos estabelecimentos têm intenção de contratar novos funcionários para o próximo mês. Das lojas pesquisadas, 41% têm planos de novos investimentos nos próximos 12 meses.

“Cerca de 60% dos lojistas que participaram do estudo acreditam que devem recuperar parte das vendas já em maio, sendo que a Região Norte é a mais otimista. Em uma visão macroeconômica, fatores como emprego, renda e crédito vão se manter fortes e impulsionando os negócios e a proximidade da Copa do Mundo deve influenciar positivamente nas vendas, pois há esse movimento por parte dos consumidores que querem deixar a casa em ordem ou para alugar durante os jogos ou para receber a visita de parentes e turistas”, explica Conz.

A Anamaco também acredita que deverá rever em breve e para baixo, as previsões de desempenho para 2014. No início do ano, a entidade esperava crescer 7,2% sobre o ano passado, quando registrou um crescimento 4,4% superior a 2012 e um faturamento recorde de R$ 57,42 bilhões.

Fonte: Agência Último Instante

Compartilhe